Música clássica é atração para crianças e adolescentes na UPP Santa Marta

Sexta-feira, Fevereiro 24, 2012

Texto: Leandro Bertholini  /  Foto: Alexandre Pestana

Irmãs musicistas radicadas nos EUA tocam clássicos de violino para jovens da Orquestra Infanto-Juvenil das Comunidades Pacificadas

Um inusitado encontro musical aconteceu na tarde desta sexta-feira (Dia 24) na Unidade de Polícia Pacificadora do Santa Marta (UPP Santa Marta), em Botafogo. Crianças e adolescentes do Projeto Social pela Música, responsável pela Orquestra Infanto-Juvenil das Comunidades Pacificadas, desenvolvido dentro da UPP, receberam a visita das irmãs musicistas Vanessa e Verônica Cedillo. Violinistas radicadas nos EUA, elas percorrem os principais países da América Latina, levando solos e duetos de clássicos às comunidades e favelas das principais capitais latinas.

Durante o encontro, os jovens curtiram músicas de Vivaldi e Beethoven e aplaudiram de pé a execução em violino da canção “Sweet Dreams”, famoso hit nos Estados Unidos, gravado por diversos artistas da música pop americana. As irmãs Cedillo já estiveram em comunidades do Chile, Argentina, Bolívia, Venezuela, Colômbia, Peru, Equador e Uruguai com objetivo de promover a diversidade da arte por meio da música sem fronteiras.

- Nosso repertório tem estilos diferentes, incluindo mariachi, clássico, tango, gypsy e pop, que são apresentados gratuitamente nos lugares onde passamos. Esperamos que os nossos concertos inspirem novas gerações e pretendemos com isso enviar uma mensagem de paz, harmonia e amor através da música – disse a violinista Verônica Cedillo.

A Orquestra Infanto-Juvenil das Comunidades Pacificadas é formada por 130 crianças e adolescentes dos Morros da Babilônia, Chapéu Mangueira, Pavão-Pavãozinho, Cantagalo, Santa Marta, Cidade de Deus e Complexo do Alemão. Na UPP Santa Marta os jovens recebem aulas de violino, viola, violoncelo e contra-baixo e promovem concertos nas comunidades pacificadas. O projeto, que começou junto com o programa de pacificação há três anos, conta com o apoio da Secretaria de Segurança e da ONG Rio Solidário e ainda com o patrocínio da Embratel.

De acordo com a maestrina Fiorella Solares, responsável pelo projeto, a iniciativa leva a música erudita para os moradores com faixa etária entre 6 e 17 anos. Para ela, receber artistas profissionais serve como um belo exemplo da prática da música como veículo de transformação social.

- O sucesso do projeto tem dado tantos resultados que a partir de março vamos estender para as UPPs do chamado cinturão de Segurança da Grande Tijuca, onde as aulas irão acontecer na UPP Macacos – revela entusiasmada a maestrina Fiorella Solares.

A adolescente Érika Bernardino, de 15 anos, está no projeto desde o início e disse estar feliz com a oportunidade de entrar em contato com artistas de outros países. A jovem se tornou monitora das aulas que acontecem três vezes na semana por executar bem as partituras. Quando concluir o ensino médio ela pretende fazer faculdade de música.

- Amo música clássica. Esse projeto transformou a minha vida. Descobri que posso manisfestar os meus sentimentos através dos instrumentos e com isso fazer e curtir os melhores sons de todo o planeta – diz.

ASCOM SEGEG.

UPP pelo Mundo

pag1_4 pag1

Pesquisas UPP’s